25 de dez de 2009

Eu sinto sua falta...

Sim, estou falando contigo, Lagarto (alguns vão dizer que não, maaaas...).
Depois de muito tempo sem postar (e isso me fez uma baita falta, tive que apelar pro meu caderninho roxo do DMAE), volto a escrever estas tortuosas linhas, no dia em que tu completas um ano de vida. Parabéns, Lagartão. Confesso que já tive vontade de te deletar, mas não seria prudente, além de não ter motivos pra isso (se eu quiser é só parar de escrever, pelo menos as histórias continuariam vivas).

Enfim, foi um final de semestre bem difícil. Tive que ter o Eye of the Tiger, mesmo. Histologia, e ,principalmente, Genética. Nessa última semana eu só pensava na prova (tá, mentira, às vezes eu pensava na Fernanda -e depois eu conto melhor a história- e em outras, a grande maioria das horas, eu pensava em como eu queria férias). Chegou no dia da prova, eu almocei com o Marcelo, e eu tava uma pilha de nervos. Mas deu tudo certo, e agora estou de férias, finalmente. E com elas, como sempre, vem as histórias de férias e a viagem pra CAPÃO. Eu sei que as minhas férias não seriam a mesma coisa se eu tivesse rodado nesse lixo de cadeira que deram o nome de genética. Mesmo ela não me atrasando nada (eu iria pro terceiro semestre igual), eu ia ficar com aquele pensamento: "Merda, rodei. Vou ter que ver toda essa porra denovo.".

Falando em Fernanda. Ela é a bixo que eu conheci uns meses atrás, e contei como foi em uns posts abaixo. Sim, eu estava afim, e não queria bater com a cara no chão denovo, então bolei uma estratégia. Fui ficando amigo das amigas dela e a que eu conseguisse me aproximar mais, eu contaria tudo pra ela e pediria uma "luz". Como eu já era mais ou menos próximo da Lays (uma das amigas) foi com ela mesmo que eu falei.
Ela disse que seria suicídio falar com a Fernanda agora, por dois motivos que estou com preguiça de explicar (e todos já sabem que motivos são esses), mas que se eu eu quisesse mesmo, eu dava um tempo, e tentava depois. Usei esse semestre pra me aproximar da Fernanda, fiquei amigo de verdade. Conversas no MSN, ajuda nos estudos, convites pra jogar bola, trocas de scraps, etc. Nada em demasia, primeiro pra ela não desconfiar de nada logo de cara, e segundo pra ela não enjoar da minha cara e me achar grudento. Fiquei bem amigo da Lays, também. É sempre bom ter pessoas que se pode confiar nesse tipo de circunstância.
Sinto que se eu tivesse que falar com a Fernanda, eu não teria medo ou ficaria nervoso. Ela passa um ar de serenidade, que te deixa calmo, e eu acho isso muito estranho, mesmo gostando. O meu maior medo era que chegasse um filho da puta qualquer antes de mim e levasse ela embora. Falei com a Lays sobre isso. Ela me falou sobre dois caras, mas na boa, nenhum dos dois é o bastante pra ela (declaração à la "William"). Aí me preocupei com ela nas férias. Até que ela me contou que iria pra Chicago. UUUUOOOOOUUUU, isso era o melhor que eu poderia esperar. Um lugar longe, com outra língua, etc.

Agora me preocupo comigo, nas férias. Eu quero aproveitar, quero esquecer ela. Sim, e não tenho pq não dizer isso, afinal a gente não tem nada ainda. Já disse pro pessoal que eu vou esquecer, pelo menos enquanto estiver em Capão. Vai ser difícil ? Vai... Mas acho que é totalmente possível. Quero ir no Tazz pra caçar, sem ficar com ela na cabeça e tal. O que acontece em Capão, fica em Capão, E PONTO FINAL. Se eu não conseguir, paciência. Não ficarei triste nem nada...

Faliz Natal a todos.
E feliz aniversário, mais uma vez Lagarto.

2 comentários:

  1. Tu nunca conta que é meu fregues no futebol!!!

    ResponderExcluir
  2. Um dólar pelo Lagarto. [curiosidade reina ._.']

    ResponderExcluir